Cirurgia da Obesidade, Redução de Estômago

Entendendo a Obesidade

Obesidade e sua saúde

Os índices de obesidade aumentaram em níveis epidêmicos em todo o mundo. Como exemplo, quase um terço da população adulta dos EUA (32%) é considerada obesa. Aqui no Brasil, a situação não é diferente.

A obesidade interfere nas funções fisiológicas básicas, como respiração e exercícios. Além disso, a obesidade pode causar sérios problemas de saúde, conforme mostram as estatísticas da obesidade:
  • As pessoas que apresentam sobrepeso são mais susceptíveis à pressão sanguínea alta e altos níveis de gordura no sangue (triglicérides) e LDL (colesterol ruim). Todas as três condições são fatores de risco separados para doença cardíaca e AVC.
  • As pessoas que apresentam sobrepeso podem ter um maior risco de desenvolver vários tipos de câncer.
  • Os índices de mortalidade para homens e mulheres com obesidade mórbida são 50-100% mais altos que para as pessoas que apresentam um peso saudável.
O estigma associado à obesidade pode impactar a saúde emocional. A pesquisa mostra que há discriminação contra a obesidade no local de trabalho, escola, eventos sociais e inclusive no cenário da saúde. Como a tendenciosidade contra a obesidade pode ser sutil, os efeitos acumulados podem não ser óbvios.

Em geral, a obesidade é má interpretada como preguiça e falta de autodisciplina. O conceito de que são necessários apenas dieta e exercícios para superar a obesidade simplesmente não é verdade. A obesidade é uma doença. Normalmente, dieta e exercícios não são suficientes para ajudar as pessoas a perder peso e manter essa perda.

A pesquisa mostrou que a genética pode ser a causa fundamental da obesidade mórbida para muitas pessoas. Outras causas podem incluir distúrbios metabólicos e desequilíbrio hormonal.

A pesquisa mostra que as opções de tratamento tradicionais, como dieta, exercícios e modificação do comportamento, são relativamente ineficazes para ajudar os pacientes com obesidade mórbida a obter e manter uma perda de peso no longo prazo. Em geral, a cirurgia de perda de peso é mais eficaz. Em comparação a outros tratamentos, a cirurgia bariátrica proporcionou o maior período de perda de peso sustentável nos pacientes, para os quais todas as outras opções falharam. Uma recente meta-análise mostrou que, 2 anos após a cirurgia, os pacientes bariátricos perderam 59% de seu sobrepeso corporal.

A cirurgia bariátrica não é para todo mundo. Você deve estar qualificado para a cirurgia e pronto para assumir um compromisso com um novo estilo de vida saudável e ativo. Somente você e seu cirurgião bariátrico podem avaliar sua situação e decidir se a cirurgia é adequada para você.

Se você apresenta sobrepeso de 45 kg ou mais, provavelmente já tentou muitas dietas. Para muitas pessoas que lutam contra a obesidade mórbida, a perda de peso eventualmente leva ao ganho de peso, frustração e desapontamento. Se isso lhe parece familiar, a cirurgia de perda de peso pode ser uma opção apropriada para você.
A cirurgia bariátrica tem demonstrado melhorar ou resolver as condições de saúde relacionadas à obesidade, como o diabetes tipo 2, pressão sanguínea alta, colesterol alto e apneia do sono.
Os estudos clínicos de pacientes da cirurgia bariátrica laparoscópica mostraram que esses pacientes sentem-se melhor, gastam mais tempo com lazer e atividades físicas, são beneficiados com o aumento de produtividade e oportunidades econômicas, bem como apresentam mais autoconfiança que antes da cirurgia. Para entender melhor como a cirurgia de perda de peso afetou a vida das pessoas, veja Pessoas Reais, Casos Reais.

Um recente estudo mostra que as pessoas que sofrem de obesidade pagam 36% a mais pelo tratamento de saúde e 77% a mais pela medicação, em comparação às pessoas com um peso mais saudável. Estes aumentos são superiores aos custos do tratamento de saúde e da medicação associados ao tabagismo ou alcoolismo. A cirurgia de perda de peso pode ajudar a reduzir esses custos. Um recente estudo mostra que a cirurgia bariátrica paga seus próprios custos em aproximadamente dois anos. Uma razão importante é que a cirurgia de perda de peso ajuda a melhorar ou resolver as condições associadas à obesidade, como diabetes tipo 2 e doença da artéria coronária, portanto, os pacientes economizam dinheiro em medicações prescritas relacionadas, consultas médicas e visitas aos hospitais.

Na realidade, a economia mensal associada à cirurgia bariátrica laparoscópica tem demonstrado chegar a mais de $900, nos primeiros 13 meses após a cirurgia.