Cirurgia da Obesidade, Redução de Estômago

Comparação entre as diferentes técnicas

Banda Gástrica

Banda Gástrica (ilustração)

Técnica que consiste na colocação de um pequeno anel ao redor da porção superior do estômago. Este anel, cinta, ou como é mais conhecida, banda gástrica, divide o estômago em dois compartimentos: um pequeno que fica acima da banda e irá armazenar pouca quantidade de alimento que, quando cheio, causa a sensação de saciedade; e um segundo compartimento maior, que é o resto do estômago normal abaixo da banda, e que continuará a participar do processo digestivo normal, recebendo e enviando o alimento para o duodeno.Como os receptores que traduzem para o cérebro a mensagem de saciedade se encontram na parte de cima do estômago, o paciente terá o apetite diminuído e ficará satisfeito com refeições bem menores que antes da operação. A banda gástrica possui um balão que fica em contato com o estômago e que, à medida que é inflado, reduz a velocidade de esvaziamento da pequena câmara, limitando a capacidade de armazenamento de alimento.Este balão é ligado por um estreito tubo de silicone a um pequeno dispositivo para injeção que é implantado sob a pele e que permite uma calibração do diâmetro do anel e, por consequência, da velocidade de esvaziamento do reservatório gástrico.Esta propriedade possibilita um ajuste a qualquer momento após a cirurgia, adequando a, restrição gástrica às necessidades e à tolerância de cada pessoa.

Cirurgia Disabsortiva (SCOPINARO)

Scopinaro (ilustração)

Nas técnicas disabsortivas promove-se um encurtamento do intestino delgado, reduzindo o tempo de contato dos nutrientes com as células intestinais dificultando sua absorção, a Derivação Bilio-Pancreática de Scopinaro é a principal representante deste grupo.Nessa cirurgia é realizado um grande desvio no intestino conjuntamente com a retirada de uma parte do estômago.Esse desvio faz com que o alimento percorra a maior parte do intestino sem entrar em contato com as enzimas digestivas e portanto sem absorver boa parte dos acúcares e gordura ingeridos.Após esse desvio o alimento se encontra com as enzimas digestivas no final do intestino delgado tendo apenas 50 cm de intestino com capacidade de absorção.

Bypass Gástrico Video-laparoscópico (a que realizamos)

Bypass (ilustração)

Optamos pela realização de operações restritivas gástricas associadas a um desvio intestinal (gastroplastia vertical  +  gastroenteroanastomose em Y de Roux + enteroanastomose). Realizamos 5 PEQUENOS ORIFÍCIOS (PORTAIS) VIDEO-LAÁROSCÓPICOS para realizar a Derivação Gastro-jejunal em Y de Roux , ou, simplesmente cirurgia de “FOBI-CAPELLA”, em homenagem aos dois cirurgiões que mais contribuiram para a padronização deste procedimento.

Para tornar a cirurgia mais rápida e segura, usamos grampeadores cirúrgicos vídeo-endoscópicos, com suas respectivas cargas,além de pinças coaguladoras de bisturí ultrassônico, trocateres descartáveis, tudo dentro da mais alta tecnologia existente.

Confeccionamos um pequeno tubo gástrico de 10 cm de extensão, com capacidade máxima volumétrica de 30 a 50 ml.. Ligamos este pequeno tubo a uma alça (“y de Roux”) de intestino delgado, de 1,0 a 1,5 metro de extensão, por onde o alimento passa antes de encontrar secreções digestivas provenientes do fígado, pâncreas e duodeno.

O paciente operado sente-se saciado com uma pequena quantidade de alimentos (CIRURGIA RESTRITIVA), que ainda encontrará dificuldades de ser absorvido (CIRURGIA DISABSORTIVA).

Tudo isto junto proporciona altos índices de perda de peso duradoura (CAPELLA refere em média 77% de perda do excesso de peso em 5 anos) e baixos índices de falhas, cerca de 3% (perda de peso menor que 50% de excesso de peso em cinco anos).