Cirurgia da Obesidade, Redução de Estômago

Avaliação clínica

Qualquer procedimento cirúrgico necessita antes de uma avaliação clínica. Na cirurgia para obesidade mórbida esta avaliação é especialmente importante pela freqüência aumentada de doenças associadas a essa condição.

O médico clínico procura avaliar o candidato à cirurgia para detectar as doenças que podem ser fatores de complicação para o ato cirúrgico e anestésico. Para isso necessita da história clínica do paciente, do exame físico e de exames laboratoriais.

É necessária uma minuciosa avaliação, já que doenças como o diabetes, hipertensão, doenças crônicas do fígado, doenças do aparelho cárdio-circulatório, varizes, úlceras de membros inferiores, alterações do colesterol e de outras gorduras sangüíneas e artroses, costumam associar-se à obesidade mórbida. Há um enfoque especial sobre o coração e os pulmões. A identificação e tratamento dessas doenças é importante para a redução das complicações cirúrgicas.

Todos esses parâmetros clínicos encontrados possibilitam ao médico estabelecer o chamado “risco cirúrgico”. Essa classificação dará ao cirurgião e ao anestesista perfeita noção da condição pré-operatória do paciente, bem como quais serão os cuidados especiais a serem tomados em cada caso. Como a cirurgia para a obesidade mórbida é eletiva, ou seja, não se trata de uma emergência médica, esta avaliação deve ser realizada entre 2 a 6 semanas antes da cirurgia, devendo ser comunicada ao cirurgião para auxiliá-lo na indicação do procedimento cirúrgico.

O paciente deverá também ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar: nutricionista – psicólogo – fisioterapeuta – fonoaudiólogo – endocrinologista – pneumologista – cardiologista.