Cirurgia da Obesidade, Redução de Estômago

Cirurgia

Bypass gástrico em Y de Roux é um dos procedimentos realizados com maior frequência para a obesidade mórbida no Brasil. O bypass gástrico usa as técnicas de cirurgia restritiva e de má absorção. A técnica restringe a ingestão de alimentos e a quantidade de calorias e nutrientes que o organismo absorve. Além de criar uma bolsa menor no estômago, a cirurgia altera o processo digestivo normal do corpo. Como resultado, o alimento é desviado de uma grande parte do estômago e da maior parte do intestino delgado.

Estudos sobre a cirurgia de bypass gástrico mostram que os pacientes deste procedimento, em geral, perdem 61,6% de seu sobrepeso após a cirurgia bariátrica. Muitos problemas de saúde (dor nas costas, apneia do sono, pressão sanguínea alta, diabetes tipo 2 e depressão) melhoram ou são resolvidos após a cirurgia.

A cirurgia de bypass gástrico pode ser realizada através de um procedimento aberto ou laparoscópico (minimamente invasivo). A cirurgia laparoscópica é realizada usando pequenas incisões—o que, em geral, significa menos tempo de hospitalização, recuperação mais rápida, cicatrizes menores e menos dor que os procedimentos cirúrgicos abertos. A maioria dos cirurgiões prefere a abordagem laparoscópica.

Para acessar a cavidade abdominal, pequenas incisões são realizadas no abdômen. Trocartes, que são portais para viabilizar o acesso à cavidade abdominal, são posicionados nestas incisões. Os instrumentos cirúrgicos são introduzidos através dos trocartes dentro da cavidade. O cirurgião examina a cavidade abdominal utilizando um laparoscópio ou câmera de vídeo. Um pequeno estômago superior é criado utilizando um grampeador cirúrgico. Este pequeno estômago restringe a quantidade de comida que você pode comer, lhe passando o sentimento de saciedade. O intestino delgado é separado em duas partes, sendo que a parte de baixo é conectada com o novo pequeno estômago. Isso permite que a comida seja direcionada diretamente para o intestino delgado, onde a digestão continua. Desviar uma parte do intestino delgado diminui a absorção de calorias e nutrientes. A parte de cima do intestino delgado é re-conectado à parte de baixo do intestino. A bile e os fluídos pancreáticos produzidos no fígado e no pâncreas respectivamente, permitem que a comida seja completamente digerida.

Durante um procedimento de bypass gástrico, ambas as técnicas de cirurgia restritiva e de má absorção são realizadas. Primeiro, o cirurgião cria uma pequena bolsa no estômago e, em seguida, liga uma parte do intestino delgado diretamente à bolsa. Este procedimento permite que o alimento seja desviado de uma parte do intestino delgado, a qual absorve as calorias e nutrientes. Ter uma bolsa no estômago menor faz com que você se sinta saciado mais rapidamente e coma menos alimento; desviar uma parte do intestino delgado significa que seu organismo absorve menos calorias. Os pacientes do bypass gástrico reportam uma sensação precoce de saciedade e satisfação, que reduz o desejo de comer.

Um estudo constatou que, após o bypass gástrico laparoscópico, os pacientes puderam sair do hospital após 2 dias e retornar ao trabalho após 21 dias.

Estudos realizados sobre a cirurgia de bypass gástrico mostram que, após 1 ano, a perda de peso pode ser em média 77% do sobrepeso.Uma análise clínica abrangente dos dados da cirurgia bariátrica mostrou que os pacientes submetidos a um procedimento cirúrgico bariátrico apresentaram uma resolução total ou melhoria de alguns de seus problemas de saúde relacionados à obesidade (conhecidos como condições comórbidas), incluindo diabetes tipo 2, hiperlipidemia (níveis altos de lipídeos [gordura] na corrente sanguínea), pressão sanguínea alta e apneia do sono obstrutiva. Um estudo de informações sobre o bypass gástrico constatou que a cirurgia de bypass gástrico reduziu em 96% o número total de problemas graves de saúde dos pacientes participantes.